Anamnese na clínica infantil: como fazê-la de forma divertida?

A anamnese na clínica infantil tem os recursos lúdicos como importantes aliados para a obtenção das informações necessárias ao início e andamento do processo psicoterapêutico. Afinal tais ferramentas auxiliam na exteriorização dos pensamentos, emoções e sentimentos da garotada.

Crianças de todas idades são encaminhadas a profissionais da saúde mental com uma infinidade de distúrbios, entre eles, disfunções na fala, dificuldade de aprendizagem, fobias, depressão, hiperatividade, desobediência, retraimento, tiques e dificuldade para fazer amigos.

Qualquer que seja o contexto, a anamnese na clínica infantil é uma entrevista inicial feita pelo psicólogo visando obter informações detalhadas sobre o desenvolvimento do paciente, sua história de vida, suas queixas, acontecimentos significativos, seu histórico de doenças, sua dinâmica familiar e social.

Por meio dela, é possível uma melhor compreensão do indivíduo e, assim, formular uma estratégia adequada para o acompanhamento de cada caso.

QUEIXA INICIAL

No atendimento ao público infantil, a queixa inicial geralmente é trazida pelos pais ou outros responsáveis. Sendo assim, a anamnese já começa com as informações trazidas por eles, antes mesmo do primeiro contato com o paciente.

E quando chega o momento da consulta com a criança, as entrevistas são lúdicas, ou seja, com a utilização de jogos ou brinquedos de acordo com a faixa etária.

Essas entrevistas normalmente têm como início o modo não estruturado, pois o paciente faz uso livre dos materiais e o terapeuta, gradativamente, faz perguntas sobre a problemática ou questões referentes.

PROJEÇÃO

Na clínica infantil, a ideia fundamental do uso de entrevistas lúdicas é a de que as crianças projetem suas questões-chaves no conteúdo do brinquedo ou jogo e na maneira como utilizam o material, podendo revelar, indiretamente, medos, fontes de raiva, preocupações sexuais, culpa e conflitos com os cuidadores.

Por meio do uso dos recursos lúdicos, também é possível avaliar inteligência, criatividade, espontaneidade, defesas, habilidades percepto-motoras, processos de pensamento, organização, percepção de si próprio e dos outros e a natureza dos processos de interação.

Para identificar queixas e questões a serem trabalhadas, é importante que o profissional saiba como conduzir a anamnese na clínica infantil. Não é obrigatório ter um roteiro a seguir, mas é importante estruturá-la para esse público a fim de se alcançar um bom resultado.

JOGO TERAPÊUTICO

Um dos jogos que podem ser utilizados na anamnese na clínica infantil e com pacientes adolescentes é o ‘Boliche terapêutico’, disponibilizado pela editora RIC Jogos. É composto por cem pinos com perguntas e frases divididos em quatro grupos: pessoal, família, escola e lazer.

O grupo pessoal (pinos com listras roxas) possibilita que o paciente fale de crenças sobre si, o mundo e o futuro, bem como sobre suas características e seus padrões comportamentais.

Já o grupo da família (pinos com listras amarelas) incentiva a garotada a expor o padrão de funcionamento familiar e também os pensamentos sobre a sua família.

Por sua vez, o grupo escola (pinos com listras verdes) aborda temas gerais do ambiente escolar, assim como questões sobre bullying e aprendizagem.

Por fim, o grupo lazer (pinos com listra verdes) verifica o quanto o paciente está tendo espaço para brincar, tempo de brincadeiras com os pais, convívio social fora da escola e se pratica atividades físicas ou convive em algum grupo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.