Autoconhecimento: o que é e qual sua importância?

O autoconhecimento está relacionado à consciência da pessoa de sua essência como ser humano. Engloba saber quais são suas qualidades, seus defeitos, medos, talentos, suas limitações, crenças, inclinações, seus desejos, motivações, entre outros.

Por estar diretamente ligado ao propósito de vida, o autoconhecimento é uma das habilidades mais importantes para o desenvolvimento do indivíduo em todas as áreas, seja pessoal, acadêmica ou profissional.

Afinal ter conhecimento de quem realmente se é e quais os pontos que precisam ser melhorados ou potencializados torna mais fácil fazer ajustes em si mesmo para se tornar alguém melhor; assim como para tomar decisões acertadas, traçar objetivos coerentes com seus propósitos e alcançá-los.

O autoconhecimento também ajuda a controlar as emoções, tanto negativas quanto positivas. Essa regulação emocional contribui para evitar baixa autoestima, frustração, oscilações de humor, ansiedade e até mesmo transtornos mentais, como a depressão.

Em outras palavras, o autoconhecimento abre portas para a realização pessoal, a felicidade, o bem-estar e a saúde plena – física e mental.

Clareza

Uma das principais características do autoconhecimento é que ele possibilita que o sujeito se enxergue como realmente é e não quem pensa ser. Ou seja, tenha clareza de sua personalidade, suas emoções e atitudes diante de situações e adversidades do dia a dia.

Por sua vez, saber lidar com situações e emoções diversas do cotidiano impacta diretamente na maneira como as pessoas se relacionam com os outros e com o mundo ao seu redor.

Da mesma forma, facilita distinguir pessoas e situações que são positivas para a jornada e quais devem ser descartadas ou requerem certo afastamento.

Além de ajudar a lidar com tudo isso, o autoconhecimento incentiva os indivíduos a encontrarem oportunidades para se desenvolverem a todo momento.

Descoberta

A descoberta de si mesmo se dá por meio de reflexões e análises de pensamentos, emoções e comportamentos. Abrir a mente, fazer diversos questionamentos a si próprio e aprender sobre diferentes assuntos também fazem parte do processo.

Autoconhecimento implica saber responder questões como: quem sou eu e qual meu diferencial, quais são minhas maiores habilidades e fraquezas, eu confio nas minhas habilidades?

Entre os sinais que indicam que a pessoa não conhece a si própria, constam dar mais importância a opinião dos outros; ter dificuldade para lidar com os próprios erros; forte insegurança e constantes momentos de arrependimento; necessidade de ajuda dos outros para tomar atitudes; e medo de ficar sozinha e de ter uma vida individual.

Consequências

O ser humano é complexo, e a autoavaliação deve sempre ser trabalhada. Embora não seja uma tarefa fácil e possa demorar – afinal ninguém gosta de se autocriticar e reconhecer seus erros e suas fraquezas –, se autoconhecer é necessário.

Aqueles que conhecem pouco a respeito de si próprios podem se tornar incapazes de lidar com determinadas situações e pessoas.

Consequentemente, se tornarão indivíduos com elevado nível de estresse e ansiedade e sem discernimento para promover atitudes que façam bem a si mesmos e para quem os cerca.

Muitas vezes, podem acabar sendo conduzidos por regras impostas pela sociedade, sem considerar seus sentimentos, desejos e suas aspirações, os levando à frustração, à dificuldade nos relacionamentos interpessoais e até mesmo aos transtornos psicológicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.