Como usar recursos lúdicos para reconhecimento e regulação emocional

Os recursos lúdicos são importantes ferramentas para o reconhecimento e a regulação emocional. Tais habilidades precisam ser trabalhadas desde a infância para se evitar o surgimento futuro de psicopatologias, assim como prejuízos pessoais, escolares e profissionais.

Nesse sentido, os recursos lúdicos são estratégias que podem ser associadas ao desenvolvimento humano de forma educativa e terapêutica.

À medida que as pessoas têm mais conhecimento sobre suas emoções, melhor será a sua capacidade de regulá-las, alcançando um estado de bem-estar que permita a adequação da tomada de decisões e a resolução de problemas sem causar prejuízos na vida do indivíduo.

Os jogos, por exemplo, abrem um leque de possibilidades de intervenções para o desenvolvimento de tais habilidade sociais. São inclusive recursos muito utilizados na psicoterapia com um propósito alinhado à demanda de cada paciente.

Isso porque tais recursos possibilitam, por si só, a liberação da tensão, auxiliando o indivíduo a entrar em contato com suas emoções e a se expressar.

Os recursos lúdicos são, portanto, instrumentos muito úteis, tanto no processo de entendimento do funcionamento da pessoa, quanto no desenvolvimento de suas habilidades.

São ferramentas que promovem o reconhecimento e a regulação emocional, ou seja, a capacidade do indivíduo de lidar com situações estressantes e desafiadoras de maneira saudável e adequar seu comportamento diante dessas situações.

OBSERVAÇÃO

O jogar desperta diversas emoções nos jogadores. Na psicoterapia, por exemplo, através da observação dos movimentos durante o jogo, o terapeuta consegue perceber como o paciente lida com diferentes situações: se é mais cauteloso ou arrojado, se é impulsivo ou planeja as suas jogadas, se é agressivo ou defensivo.

Além disso, é possível perceber o nível de compreensão e aderência em relação às regras, ou seja, se o paciente apresenta segurança para fazer as jogadas.

Entre as habilidades sociais que podem ser desenvolvidas por meio dos recursos lúdicos, consta a empatia, que pode ser trabalhada desde o momento em que a pessoa está aguardando para poder fazer sua jogada até quando ganha ou perde o jogo.

Por sua vez, a tolerância à frustração pode ser trabalhada desde a jogada não ter o resultado desejado até o perder a partida.

A comunicação também pode ser trabalhada com os recursos lúdicos, principalmente nos jogos de cooperação ou de formação de equipes.

AUTONOMIA

Autonomia, iniciativa, segurança e capacidade de tomar decisões são outras habilidades que podem ser desenvolvidas com a utilização de jogos, assim como flexibilidade e resolução de problemas. Eles permitem às pessoas lidarem com imprevistos e a pensarem em formas diferentes de alcançarem os resultados almejados.

Para desenvolver o controle de impulsividade e ansiedade, assim como a capacidade de planejamento, são indicados jogos que envolvem estratégias. O objetivo é trabalhar a habilidade de pensar antes de agir e avaliar as consequências de fazer algo impulsivamente.

Os recursos lúdicos também podem ser utilizados para o desenvolvimento da capacidade de lidar com regras, afinal, todo jogo tem uma regra que precisa ser seguida. A partir daí, também é possível trabalhar a organização.

Os jogos ainda são instrumentos excelentes para trabalhar a persistência, porque só é possível saber quem ganhou quando se chega ao final. Sair do jogo antes de acabar é certeza de perder, uma metáfora importante que se leva para a vida real.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.