O que é anamnese e qual sua importância na psicologia?

Na psicologia, anamnese é o histórico do paciente por sua própria lembrança ou de alguém próximo a ele, como os pais ou outros responsáveis. É tipicamente recolhido por meio de perguntas de um profissional ou um questionário.

Em outras palavras, a anamnese é uma recuperação da memória, o processamento de informações preestabelecidas que são informadas pelo paciente, um resumo de todo seu processo saúde-doença.

Através das informações coletadas, o psicólogo entende as necessidades, as expectativas e conhece um pouco das vivências marcantes, como também o presente do sujeito.

De fundamental importância, a anamnese é a fase do tratamento psicoterapêutico em que o terapeuta pode estabelecer um vínculo que permitirá o diagnóstico e a determinação de um plano de tratamento para o caso.

Varredura

Ao começar um tratamento psicológico, é normal que o profissional da saúde mental faça – na primeira ou primeiras consultas – uma entrevista perguntando pelo motivo da consulta e, de forma geral, sobre a vida do paciente. Tal varredura sobre a situação é conhecida pelo nome de anamnese.

Ela serve para que o terapeuta possa ter uma ideia geral sobre o que está acontecendo com o indivíduo, assim como descobrir se há outras áreas problemáticas que podem estar o afetando.

Em alguns casos, é muito útil e necessário fazer esse tipo de entrevista com familiares, parceiros ou outras pessoas próximas do paciente, especialmente quando se trata de crianças.

Tipos

Existem dois tipos básicos de anamnese na psicologia. A focal consiste na realização de um conjunto de perguntas ao paciente sobre o problema.

Entre essas perguntas, constam, por exemplo: qual o motivo da consulta, desde quando o problema está ocorrendo, existe algo que possa tê-lo desencadeado, quais as tentativas de soluções já experimentadas?

Já na anamnese para o impacto biográfico, são feitas perguntas para se obter informação sobre como o problema pode estar interferindo no dia a dia do sujeito. Trata-se de averiguar se outras áreas de sua vida estão sendo afetadas.

Nesse caso, o terapeuta geralmente pergunta se a pessoa já deixou de fazer alguma atividade em função do problema, se existe algo que ela acredita que esteja mantendo ou aumentando a situação, se ela tem apoio de seu entorno e se acredita que a terapia pode ajudar.

Importante observar que o psicólogo não deve saturar o paciente durante a anamnese. Às vezes, é melhor ir ampliando o número de informações solicitadas pouco a pouco nas seguintes sessões da terapia.

A ideia é que a conversação flua de forma natural, favorecendo o conforto e respeitando o tempo do indivíduo para falar.

Jogo terapêutico

Um dos jogos que podem ser utilizados na anamnese na clínica infantil e com pacientes adolescentes é o ‘Boliche terapêutico’, disponibilizado pela editora RIC Jogos. É composto por cem pinos com perguntas e frases divididos em quatro grupos: pessoal, família, escola e lazer.

O grupo pessoal (pinos com listras roxas) possibilita que o paciente fale de crenças sobre si, o mundo e o futuro, bem como sobre suas características e seus padrões comportamentais.

Já o grupo da família (pinos com listras amarelas) incentiva a garotada a expor o padrão de funcionamento familiar e também os pensamentos sobre a sua família.

Por sua vez, o grupo escola (pinos com listras verdes) aborda temas gerais do ambiente escolar, assim como questões sobre bullying e aprendizagem.

Por fim, o grupo lazer (pinos com listra verdes) verifica o quanto o paciente está tendo espaço para brincar, tempo de brincadeiras com os pais, convívio social fora da escola e se pratica atividades físicas ou convive em algum grupo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.