Principais causas do Transtorno de Estresse Pós-Traumático

Eventos suscetíveis de provocar Transtorno de Estresse Pós-Traumático são aqueles que invocam sentimentos de medo, impotência ou horror. O distúrbio afeta cerca de 9% das pessoas em algum momento de suas vidas, incluindo a infância, e aproximadamente 4% dos adultos anualmente.

Importante destacar que mesmo quem não foi vítima direta de tais situações pode receber o diagnóstico. Testemunhar uma agressão ou ser informado que um familiar sofreu um acidente grave, por exemplo, também são possíveis fatores desencadeantes de TEPT.

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático, portanto, é um distúrbio de ansiedade desencadeado pela exposição a um evento traumático, como a pessoa ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações que representaram ameaça à sua vida ou à vida de terceiros, como lesões graves e ameaças de mortes.

Combate, agressão física ou sexual, acidente de carro e catástrofes naturais ou provocadas pelo ser humano e diagnóstico de doença grave são causas comuns de TEPT.

Estudos mais recentes apontam que quase uma para cada quatro pessoas que sofrem AVC (acidente vascular cerebral) também desenvolvem Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

SINTOMAS

Os sintomas do TEPT são bem-definidos e tratáveis. Os indivíduos acometidos geralmente têm pesadelos persistentes, evitam lembranças do evento traumático e sofrem de frequência cardíaca e pressão arterial elevadas.

Embora qualquer pessoa exposta a algum tipo de trauma psicológico possa desenvolver o distúrbio, mulheres são duas vezes mais atingidas do que homens.

DIMENSÕES

Quando se fala de ameaça à vida, há várias dimensões que podem ser ameaçadas: física, psíquica (ameaças como assédio, humilhações e outras violências psíquicas), social (micro e macro) e espiritual.

Em todas essas dimensões, pode haver situações de extrema violência ou ameaça que produzam um quadro de Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

Há pesquisas que apontam eventos ocorridos na infância e adolescência como fatores que tornam as pessoas mais vulneráveis ao TEPT.

Em geral, se encaixam situações de bullying infantil, violência doméstica, situações que passam despercebidas na escola devido a dificuldades de adaptação (sociabilização) ou aprendizado e essas crianças são estigmatizadas e ridicularizadas.

Outros fatores a serem considerados são crianças expostas a desastres naturais, como enchentes e terremotos, e violência urbana.

A violência social e estrutural também é um grande fator responsável pelo aumento da prevalência do Transtorno de Estresse Pós-Traumático durante o desenvolvimento na adolescência.

DIFERENÇAS

Não se sabe por que um mesmo evento traumático pode causar TEPT vitalício em algumas pessoas, mas não causar sintoma algum em outras.

Além disso, não se sabe por que algumas pessoas testemunham ou vivenciam o mesmo trauma muitas vezes ao longo de anos sem ter Transtorno de Estresse Pós-Traumático, mas o desenvolvem em algum momento após um episódio aparentemente semelhante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.