Quais as diferentes formas de bullying e suas consequências?

O bullying pode ocorrer em qualquer idade e diversos cenários, seja na escola, na família ou mesmo no trabalho. Além disso, a prática engloba diferentes formas: verbal, moral, psicológica, sexual, material, social, física e virtual.

A forma direta do bullying envolve agressões verbais que buscam humilhar, zombar, fazer comentários racistas ou evidenciar qualquer característica ou deficiência de uma pessoa de forma negativa e também agressões físicas.

Inclui, ainda, extorquir dinheiro ou ameaçar fazê-lo, forçar comportamentos sexuais ou ameaçar fazê-lo, obrigar ou ameaçar os outros a realizarem tarefas servis contra a sua vontade.

Por sua vez, a forma indireta do bullying caracteriza-se pela disseminação de rumores desagradáveis e desqualificantes, visando a discriminação e a exclusão da vítima de seu grupo social.

PERSONAGENS

Os personagens do bullying são a vítima, o agressor e o espectador. A vítima típica geralmente é uma pessoa mais tímida, com poucos amigos, com alguma característica marcante ou que apresenta alguma limitação física ou intelectual.

Já o agressor escolhe a vítima que apresenta alguma desigualdade de poder, ou seja, algum tipo de desigualdade psicológica, física, intelectual ou múltipla. Ele busca poder e dominar a vítima.

Por sua vez, o espectador presencia toda a violência, mas se omite por medo de ser a próxima vítima ou por falta de empatia. Os espectadores validam os comportamentos violentos do agressor com as famosas risadinhas e incentivos à violência.

IMPLICAÇÕES

O bullying pode ter implicações graves à vítima, principalmente em sua saúde mental. Entre as principais consequências possíveis, estão a depressão e o suicídio. Saber identificar os sinais pode evitar que alguém que sofre agressões entre em depressão ou tire sua própria vida.

O bullying também pode afetar a capacidade da pessoa de confiar nos outros. Isso geralmente não aparece na infância, mas à medida que o indivíduo cresce, essa desconfiança profunda começa a vir à tona, causando fracasso nos relacionamentos interpessoais.

A capacidade de aprendizagem também pode ser afetada. As crianças que sofrem bullying têm mais dificuldade em reter informações ao longo do dia. Elas não apenas se distraem pensando quando ou onde a agressão virá, mas têm afetados negativamente os receptores do cérebro, levando à falta de concentração e outros problemas psicológicos.

O isolamento, as humilhações e a forte sensação de medo impactam a longo prazo. Baixa autoestima, insegurança, ansiedade, estresse, ataques de pânico e depressão são alguns exemplos de transtornos mentais que podem surgir.

TRATAMENTO

Vítimas de bullying, muitas vezes, colocam sua angústia de lado em um esforço para voltar à vida normal. Isso pode ser uma fonte temporária de alívio, mas não é uma solução de longo prazo.

Felizmente, existem opções de tratamento psicológico contra o bullying disponíveis para ajudar a superar a turbulência emocional e recuperar a confiança.

A psicoterapia, uma das principais formas de tratamento para reparar as consequências do bullying, foi projetada para ajudar a vítima a identificar, expressar e administrar suas emoções e seus sentimentos.

Nela, o terapeuta ensina ao pacientes novas habilidades para superar esses sentimentos, reconstruir a autoestima e se sentir otimista e confiante em relação ao futuro.

Por outro lado, os autores do bullying também precisam de atenção, visto que o mau comportamento apresentado pode ser uma extensão das agressões sofridas em um ambiente familiar tumultuado, sem a presença dos cuidadores e/ou sem limites.

Geralmente, esses jovens são imaturos, hiperativos, dispersivos e têm necessidade de autoafirmação.

RECURSOS LÚDICOS

Os recursos lúdicos também são importantes ferramentas a serem utilizadas na prevenção e no combate ao bullying. O jogo da memória ‘Eu sei o que é bullying?’, de autoria da psicóloga Dani Rocha e ilustrações de Wagner Dieguez, foi idealizado para a garotada aprender o que é bullying e as diferentes formas dessa violência sistemática.

Trata-se de um jeito divertido e fácil de abordar um assunto tão difícil e que causa tanta dor a milhões de crianças e adolescentes dentro e fora das escolas.

Publicado pela editora RIC Jogos, possibilita desenvolvimento do raciocínio rápido, da noção espacial, da memória fotográfica, favorece a socialização, a empatia e ajuda o educador, os profissionais da saúde e as famílias a apresentarem de maneira mais leve as formas de bullying, buscando a reflexão sobre comportamentos saudáveis e não saudáveis, prevenção e uma cultura de paz.

Acesse este e outros jogos no site da editora RIC Jogos: www.ricjogos.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.