Transtornos de Ansiedade e Terapia Cognitivo-Comportamental

No tratamento dos Transtornos de Ansiedade, uma das principais abordagens utilizadas é a Terapia Cognitivo-Comportamental. Sua intervenção estruturada, clara e diretiva, com metas definidas a partir da aliança terapêutica, e a participação ativa do paciente no processo de mudança são motivos que a tornam eficaz.

De forma geral, a ansiedade, considerada um fenômeno biológico, é necessária para a sobrevivência. Ela faz com que as pessoas reajam em situações de perigo, fiquem vigilantes e atinjam metas.

No entanto, quando se apresenta em excesso, de forma desproporcional ao problema apresentado ou sem motivação específica, interferindo na funcionalidade do indivíduo, a ansiedade deixa de ser considerada saudável e passa a ser identificada como patológica.

Existem diferentes subtipos de Transtornos de Ansiedade, entre eles, o Transtorno de Ansiedade Generalizada, que é o mais comum, o Mutismo Seletivo, o Transtorno de Ansiedade de Separação, o Transtorno do Pânico, o Transtorno de Estresse Pós-Traumático, as Fobias Específicas, a Fobia Social e a Agorafobia.

DISTORÇÕES

A Terapia Cognitivo-Comportamental explica e intervém nesses transtornos mentais à luz do modelo cognitivo. Isso porque considera que os sintomas emocionais, fisiológicos e comportamentais prejudiciais são resultados da forma como as pessoas interpretam as situações, ou seja, de suas distorções cognitivas.

Portanto, para auxiliar os pacientes a lidarem com os sintomas dos Transtornos de Ansiedade no dia a dia, essa abordagem da Psicologia visa mudar seus sistemas de significados por meio de uma reprogramação mental.

Tal reprogramação consiste em transformar os pensamentos disfuncionais em crenças saudáveis e positivas que auxiliam os pacientes a lidarem com a ansiedade. Isso faz com que seja muito mais fácil suportar as situações ansiogênicas.

Importante ressaltar que a TCC não busca eliminar as emoções negativas, já que elas são propulsoras de mudança, apenas torná-las proporcionais à intensidade dos eventos.

TRATAMENTO

O trabalho clínico conjunto entre terapeuta e paciente sobre o modo como este identifica, avalia e responde aos pensamentos disfuncionais é tido como fundamental para a melhora no quadro dos Transtornos de Ansiedade.

O tratamento envolve um plano de ação individualizado e colaborativo em que as demandas e os objetivos trazidos pelo paciente são considerados para a elaboração das intervenções.

A TCC, portanto, engloba avaliação cognitiva e comportamental, estabelecimento de objetivos e metas, familiarização ao modelo cognitivo, formulação cognitiva do caso; intervenções cognitivas e comportamentais, prevenção de recaída e término do tratamento.

Para o tratamento de qualquer um dos Transtornos de Ansiedade, o terapeuta dessa abordagem precisa ter um papel educativo e colaborativo, preparando o indivíduo para desenvolver a sua autonomia e se tornar capaz de lidar com seus problemas de forma saudável.

É por isso que, muitas vezes, o psicólogo indica algumas tarefas para que o paciente faça em casa ou em outras situações sociais, buscando a melhoria do quadro por meio do monitoramento das distorções cognitivas e, consequentemente, dos sintomas emocionais, fisiológicos e comportamentais prejudiciais decorrentes.

TÉCNICAS

Na Terapia Cognitivo-Comportamental, também é utilizada uma série de técnicas que auxiliam o desenvolvimento de um tratamento que traga bem-estar e funcionalidade às pessoas com Transtornos de Ansiedade. Entre as principais técnicas, estão psicoeducação, registro de pensamentos disfuncionais (RPD), questionamento socrático, exposição, dessensibilização sistemática, habilidades sociais, enfrentamento do estresse, espectador ou observador distante, troca de papéis, parada do pensamento e autoinstrução, além de técnicas de relaxamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.