Transtornos de Aprendizagem: o que são?

Os Transtornos de Aprendizagem são distúrbios do neurodesenvolvimento que, normalmente, aparecem cedo na infância. Podem ser definidos como dificuldades persistentes em habilidades acadêmicas básicas – leitura, escrita ou cálculos matemáticos – sem relação com deficiências sensoriais ou intelectuais e que acarretam prejuízos significativos na funcionalidade da pessoa e no desempenho escolar.

De acordo com a Associação Americana de Psiquiatria, 5% a 15% das crianças em idade escolar e cerca de 4% dos adultos têm Transtornos de Aprendizagem. Tais distúrbios afetam a capacidade do cérebro de assimilar as informações tanto verbais (escrita ou falada) quanto não verbais (gestos, expressões faciais, tom de voz, postura corporal).

Congênitos ou adquiridos, os Transtornos de Aprendizagem não têm causa única definida, mas se supõe que déficits neurológicos estejam envolvidos, quer outras manifestações neurológicas estejam ou não presentes.

As influências genéticas contam, e outras causas possíveis são doenças maternas ou uso de drogas tóxicas durante a gestação, complicação durante a gravidez ou no trabalho de parto e problemas neonatais, tais como prematuridade, baixo peso, icterícia grave e asfixia perinatal.

Fatores potenciais pós-natais incluem exposição a toxinas ambientais, infecções do sistema nervoso central, neoplasias e seus tratamentos, trauma, desnutrição e isolamento ou privação social grave.

Se não forem adequadamente diagnosticados, os Transtornos de Aprendizagem podem gerar problemas a vida toda para o indivíduo, tais como baixo rendimento e abandono acadêmico, baixa autoestima, depressão e dificuldades para encontrar ou manter um emprego.

TIPOS

Um dos principais tipos de Transtornos de Aprendizagem é a Dislexia. Caracteriza-se pela dificuldade de leitura e escrita. Entre os sintomas, destacam-se lentidão na aprendizagem, dificuldade de concentração, palavras escritas de forma estranha, dificuldade de soletrar, troca de letras por sons ou grafias parecidas, dificuldade de ler em voz alta e compreender.

A Discalculia é outro tipo e caracteriza-se pela dificuldade de fazer cálculos matemáticos e de entender conceitos numéricos. Entre os sintomas, sobressaem-se as dificuldades na identificação visual e auditiva de números, para contar, entender as horas e as moedas, estimar medidas, assim como a confusão dos sinais matemáticos e problemas de lateralidade.

Também entre os Transtornos de Aprendizagem está a Disortografia, um distúrbio de linguagem que afeta principalmente a escrita, geralmente cheia de erros gramaticais cometidos repetidamente, sendo um dos mais comuns o esquecimento de algumas letras em uma palavra.

Como as pessoas com esse transtorno não dominam a ortografia, elas têm dificuldades para ler um texto. Dependendo da gravidade dos sintomas, podem ser incapazes de entender as palavras.

CONDIÇÕES

Existem condições que não são consideradas Transtornos de Aprendizagem, mas que, da mesma forma, impactam negativamente e atrapalham o rendimento escolar. Uma delas é o Transtorno do Processamento Auditivo Central ou Disfunção Auditiva Central, que afeta as vias centrais da audição.

Sendo assim, atinge as áreas do cérebro relacionadas às habilidades auditivas e dificulta a detecção e a interpretação das informações sonoras. A pessoa ouve, mas tem dificuldades para interpretar a mensagem recebida.

Entre os sintomas, destacam-se a dificuldade de memorização em atividades diárias, não conseguir ler e escrever, fadiga, demorar a compreender o que foi falado, falta de atenção ou distração em excesso, agitação e dificuldade para executar tarefas solicitadas.

Outra condição que não se enquadra nos Transtornos de Aprendizagem, mas interfere no rendimento escolar, é o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). Entre os sintomas, constam desatenção, hiperatividade e impulsividade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.